sábado, 1 de novembro de 2014

- Doce novembro



Nossa novembro, nem acredito! O meu mês favorito finalmente chegou!!! E o favoritismo não é somente porque é o mês do meu aniversário (rsssss), mas também porque o espírito do Natal começa a dar sinais, e eu amo este período. A sensação de que mais um ano está se completando, conquistas sendo alcançadas, o ar de que tudo vai se renovar em breve. Começamos a ver a esperança nas pessoas, a mudança de comportamento, a solideriedade crescendo. Pequenas dores se cicatrizam, mágoas ficam para trás e muitas diferenças se acabam nesta época. Os sorrisos são mais presentes no rosto de todos e as pessoas se tornam mais doces. Todo mundo correndo para concluir os planos. Ah! Os ares de novembro!!! É o mês da véspera sabe??? Algo como quem anuncia o fim de um ciclo, mas que ainda dá tempo de fazer muita coisa. E até a correria é boa!

E as decorações então??? Cores e luzes começam a aparecer. Ornamentos, brilhos e árvores de natal vão dando as caras por toda parte. Adoro luzinhas e pisca-pisca natalinos, se pudesse, deixaria pendurado em casa sempre (rssss). Tudo encantador. Além disso, os sabores de fim de ano trazem mais doçura ao dia a dia. Os treats da estação são os melhores do ano, incluindo tudo o que tem frutas secas, os panetones (e chocotones), chocolates diferenciados, cookies decorados, embalagens brilhantes e especiais. Sem falar nas músicas. Qualquer estabelecimento comercial coloca som ambiente tipo "Disney". Não tem como não entrar no clima, é inevitável. E nem precisa gostar de Natal para se envolver com tudo isso, os ambientes festivos estão espalhados por toda a parte e há várias razões que justificam alguma comemoração. Sempre há um lado bom para se ver ou lembrar.

E agora, morando no Canadá, há mais um detalhe a acrescentar ao mês de novembro: é outono, e isso significa que o inverno está chegando e logo logo a neve. As folhas das árvores no chão, as cores das paisagens mudando, a temperatura abaixando, tudo junto agregando mais valor ao mês.

Mas são as pessoas que fazem o clima ficar gostoso. A alegria corre a solta. Fico impressionada como o humor muda, pelo menos da maioria. Até dos mais ranzinzas conseguimos tirar um sorriso tímido nesta época. É isso não é ótimo?!?!

E ainda neste ano iremos ao Brasil no fim do mês. Será a primeira vez que iremos para lá desde que viemos. Estamos curiosos em saber como será esta visita de apenas 10 dias. A única tristeza será deixarmos a Jesse aqui enquanto viajamos, principalmente por causa do tratamento. Mas com muita fé, tenho certeza de que ela ficará bem nestas férias. Nós a deixaremos em uma casa de família que funciona como daycare. É pago o mesmo valor que um hotel para pet, com a diferença de que ela estará em uma casa convencional. Nós já a deixamos algumas vezes lá e deu tudo certo, foi super mimada, e a família é muito legal. Ela até ganhou uma caixa de biscoitos orgânicos feitos em casa. Demais né?!

É claro que não é só porque estamos em novembro que tudo muda e passamos a viver num paraíso. Sei que não existe nenhum unicórnio voador saltitando sobre um arco íris. Sei que nem tudo são flores. Sei também que não é só porque o final do ano está aí que a realidade muda. Mas honestamente, não dá para negar que nasce dentro de nós um sentimento de esperança para o próximo ano e de gratidão pelo o que já passou. Para alguns há muito o que agradecer, para outros nem tanto. Pois então, que os felizardos agradeçam intensamente. Que os batalhadores continue lutando (e também agradecendo). E que todos continuem acreditando. Querendo ou não, "nunca disseram que a vida seria fácil, apenas que ela valeria a pena".

Enfim, mês de expectativas e mudança de espírito. É isso aí, Doce Novembro seja muito bem vindo. E vocês, estão prontos?!!




4 comentários:

  1. Marina Paiva Marques de Souza1 de novembro de 2014 18:41

    Priscila, li seu blog de cabo a rabo. Eu mandei uma msg no inicio falando sobre minhas vontades de ir morar em outro país e a escolha do Canadá como opção. Caso não tenha lido, sou estudante de arquitetura no Brasil e pretendo me mudar assim que conseguir.
    Li seu blog e procurei pela parte financeira inicial e não vi. Quando você e o seu marido decidiram ir, saberiam da dificuldade de empregos. Vocês fizeram uma poupança? O governo Canadense ajudou? É uma dúvida que eu tenho..

    Obrigada
    Marina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marina,
      Quanto ao processo, realmente é um longo caminho, tanto no Brasil como aqui. As coisas mudaram desde que viemos, então não sei te dar respostas exatas. Mas uma coisa é certa, o governo não ajuda (pelo menos ao meu conhecimento), muito pelo contrário, você tem que provar que tem condição de se manter aqui com recursos próprios por um determinado tempo. Eu e o marido tivemos que provar que tínhamo isso. Na prática, não trouxemos nada muito significativo e mantivemos nossas coisas no Brasil, incluindo imóvel. Trouxemos algo para quatro meses e só. Hoje, sobrevivemos com uma renda relativamente baixa que vem do trabalho do marido e do meu, sendo que o meu é beeeeem baixo (rssss). Mas ainda não trabalho na minha área enquanto estou estudando inglês. Nós poderíamos viver mais tranquilos aqui, mas para isso teríamos que nos desfazer das nossas coisas no Brasil, o que optamos em não fazer. Acreditamos que as dificuldades são parte do processo e é uma fase passageira. Mas se precisarmos para uma emergência, temos alternativa. Então tudo depende de como você virá. Sugiro pesquisar as opções de imigração junto ao consulado e ver o que melhor vai lhe atender, pois há várias alternativas e tipos de vistos. Imigrar é uma mudança de vida completa e muuuuuuuita coisa tem que ser pensada. Nós achamos que vale muito a pena, o que não significa que seja algo definitivo. O que eu mais recomendo a todos é sempre pensar criteriosamente antes de qualquer decisão pois precisa investir muito dinheiro e tempo para isso. Muita coisa entra em jogo e não se trata apenas de fazer as malas e vir. Espero que qualquer que seja a sua decisão, seja algo bom para você e o seu futuro. Continue nos acompanhando que aos poucos vou acrescentando mais informações. Boa sorte na sua escolha.
      Um abraço
      Priscila

      Excluir
  2. Oi Priscila! Adorei esse seu post... super me identifiquei! Já li vários outros tbm.
    Eu e meu marido estamos iniciando o processo de imigração e no próxima ano (julho e agosto) iremos para aí a fim de conhecer algumas Províncias. Achamos que valeria a pena conhecer antes de ir definitivamente.
    Contudo, estamos numa dúvida cruel quando a indicar uma Província no processo de imigração. Você tem ideia de como pesquisaríamos mercado de trabalho x Províncias? Ele é engenheiro mecânico e já lemos que Calgary seria uma boa opção, porém o inverno é muito rigoroso, o que me desamina! :(
    Obrigada e ótimo novembro!
    bj, Joice

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Joice

      É difícil avaliar as províncias mesmo. Nós fizemos o processo federal, então não tivemos que optar por a única. Viemos para Vancouver justamente por causa do tempo e disponibilidade de montanhas para esquiar, mas estamos dispostos a mudar de lugar se for necessário. Acho que o importante é estar aberto a mudança, mesmo já estando aqui. Tenho uma amiga (que mora aqui) que diz que depois que deixou as raízes brasileiras para trás, qualquer mudança fica fácil. E acho que ela está certa. Se vocês tiverem a opção, tentem o processo federal, assim poderão escolher depois e terão flexibilidade. Se forem obrigados a já decidir por uma província, ouvi que Alberta é a melhor para começar a vida por causa das oportunidades de trabalho e baixo imposto. Mas vale aprofundar a pesquisa antes de qualquer decisão.
      Um abraço
      Priscila

      Excluir